sábado, 26 de setembro de 2009






O cantor e compositor potiguar Tico da Costa, falecido no dia 29 de agosto deste ano, será homenageado pelo músico João Salinas, por ocasião do II Seminário de Seguridade Social e Trabalho.
O evento, que é promovido pelo GESTO (Grupo de Estudos Seguridade Social e Trabalho) em parceria com a ESMAT (Escola Superior da Magistratura do Trabalho), ocorrerá no Auditório da Biblioteca Zila Mamede da UFRN, às 16h, do dia 02/10.
Francisco das Chagas da Costa nasceu em Areia Branca. Era conhecido por Tico e era casado com Sara. Deixou 3 filhos: Daniel, Lucas e Gabriel.
Titico para os familiares e Tico da Costa para o mundo artístico. Para o povo de Areia Branca era apenas Titico de Dijesu. Dijesu era seu pai. Tico nasceu numa família de 15 irmãos, sendo 8 homens e 8 mulheres. Filho de um carteiro conhecidíssimo e queridíssimo em Areia Branca. Toda a família dele é composta de músicos.
Tico começou a compor aos 13 anos. Aos 19 anos foi estudar violão clássico na Itália. Residiu 8 anos em Roma, onde integrou o movimento Focolares, da Igreja Católica, a convite da escritora Chiara Lubich. 
Tico da Costa morou e fez sucesso na Itália e nos EUA. Na terra do Tio Sam, onde foi alvo de elogios em várias oportunidades pelo New York Times, Tico fez parceria com Lina Wertmuller, considerada uma lenda viva da música estadunidense. Compôs ainda com Peter Seeger, importante artista folk americano e mentor de nomes como Bob Dylan e Joan Baez. Foi parceiro de Philip Glass, o pop star americano e autor de trilhas sonoras na história do cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário