domingo, 22 de outubro de 2017

XV Seminário do GESTO abordou as reformas trabalhista e previdenciária

Por Lorena Vidal,
Fotos de Josué Augusto.


O Seminário de Seguridade Social e Trabalho promovido pelo Grupo de Estudos GESTO chegou à sua 15ª edição nesta sexta (20/10/2017) com o tema “Reformas e Direitos Sociais: Para que e para quem?”. Ocorrido no auditório do NEPSA, o evento contou na sua abertura com a apresentação do músico e estudante da UFRN do bacharelado em violão brasileiro Gabriel Maia junto ao estudante de direito da UFRN Victor Pegado, de modo a valorizar a arte e dar espaço à produção cultural.

Sempre buscando tratar de temas atuais o seminário teve a mesa de palestras presidida pela estudante e pesquisadora Paula Lays e contou com a presença da Procuradora Regional do Trabalho Ileana Neiva Mousinho e do Professor Zéu Palmeira sobre as reformas trabalhista e da previdência.

Numa abordagem bastante qualificada os palestrantes apontaram questões relevantes sobre as reformas, demonstrando o contexto político e social em que estas estão inseridas, bem como desenvolvendo um reflexões críticas às reformas, visto que ambas, colocam em risco a efetivação de direitos sociais fundamentais conquistados, representando um retrocesso em termos de acesso à justiça e ao cuidado com a saúde e segurança dos trabalhadores.

A segunda parte do seminário contou com exposições dos estudantes de direito João Ricardo, pesquisador do GESTO e Brena Monice, ex-membro do Centro Acadêmico Amaro Cavalcanti. O painel contou com a coordenação do Prof. Zéu Palmeira e abordou o tema “A postura dos estudantes e profissionais do direito diante das reformas”, apresentando uma perspectiva diferenciada acerca das possibilidades de atuação do corpo discente e também dos profissionais da área jurídica no que concerne à produção científica e atuação direta em termos de envolvimento nas lutas sociais.

O evento também arrecadou latas de leite em pó e pacotes de fraldas geriátricas como doação voluntária no momento da inscrição para o Lar do Ancião Evangélico. As doações foram entregues ao representante da instituição na volta do intervalo, que contou com coffee break preparado pelos estudantes voluntários na organização do evento.


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Mesa redonda sobre "assédio moral e as novas configurações da relação de trabalho"

O Grupo de Estudos Seguridade Social e Trabalho – GESTO – realizará no dia 26 de outubro, como evento integrante da XXIII CIENTEC, a mesa-redonda "Assédio moral e as novas configurações da relação de trabalho".



O intuito é discutir junto à comunidade universitária uma série de assuntos que permeiam o assédio moral: seu conceito, causas, consequências, aspectos jurídicos e políticas públicas.

Antes do debate, serão exibidos trechos do filme "O Diabo Veste Prada" estrelado por Meryl Streep e Anne Hathaway.

O evento ocorrerá no auditório do NEPSA II, na UFRN, a partir das 20:00h e as inscrições realizar-se-ão mediante o portal do SIGEventos.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

XV Seminário do GESTO

GESTO promove seminário sobre as reformas trabalhista e da previdência social

O Grupo de Estudos Seguridade Social e Trabalho – GESTO – realizará no dia 20 de outubro o XV Seminário de Seguridade Social e Trabalho, com a temática "Reformas e Direitos Sociais: para que e para quem?". 



A finalidade é debater junto à comunidade universitária as recentes propostas de reforma trabalhista e de previdência social para reflexão da relação destas com a emancipação social, os legados para os direitos sociais e seus sujeitos.

Estão programadas duas palestras, uma da Procuradora do Trabalho Ileana Neiva Mousinho e outra do Economista do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) Ediram Teixeira.

O evento também contará com um painel do Professor da UFPB Ronaldo Alencar e do pesquisador do GESTO João Ricardo sobre a postura dos profissionais e estudantes de direito diante das reformas estruturais.

O Seminário ocorrerá no auditório do NEPSA I, na UFRN, a partir das 14h15 e as inscrições realizar-se-ão mediante doação voluntária de 1 (uma) lata de leite em pó ou 1 (um) pacote de fralda geriátrica que serão objeto de doação ao Lar do Ancião Evangélico (LAE). 

As vagas são limitadas e as inscrições serão feitas apenas via SIGAA.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

GESTO/UFRN e NEMED promovem evento alusivo ao centenário da Revolução Russa


Por Elisiane Campos

GESTO/UFRN e NEMED promovem evento alusivo ao 

Centenário da Revolução Russa


O GESTO/UFRN – Grupo de Estudos em Seguridade Social e Trabalho promoveu, em parceria com o NEMED – Núcleo de Estudos Marxismo, Emancipação e Direito, um debate sobre o legado da Revolução Russa para os direitos sociais e a emancipação. O evento ocorreu no último dia 02 de outubro (segunda-feira), no Auditório 1 do NEPSA 2, no campus da UFRN.

Foram três palestrantes: o professor do curso de Serviço Social, Henrique Wellen, a professora do curso de Pedagogia, Héricka Medeiros, e o professor do curso de Direito, Zéu Palmeira Sobrinho. As intervenções giraram em torno do significado da Revolução Russa para a história humana, nas vertentes da emancipação, educação e direito.

O evento foi aberto com a fala do Prof. Henrique Wellen, que discutiu o tema “A Revolução Russa e o protagonismo dos trabalhadores no processo de emancipação”. A universidade foi apresentada como espaço legítimo e necessário para o desenvolvimento do pensamento crítico, lugar ideal para vislumbrarmos que as mudanças sociais não se fazem sozinhas, nem instantaneamente, mas através de um lento processo de transformação.

Em momento seguinte, a Profª Héricka Medeiros apresentou o tema “A Revolução Russa e as suas influências na esfera da educação”, e apontou a influência da Revolução Russa e dos pensadores que esta produziu no desenvolvimento da chamada Pedagogia Social – um novo modelo de escola, não voltado apenas às matérias clássicas estudadas no ano letivo, mas também ao mundo do trabalho.

Por fim o Prof. Zéu Palmeira debateu acerca do tema “A Revolução Russa e a questão social:  o impacto sobre a construção dos direitos sociais” e do legado da Revolução Russa para a conscientização e consolidação dos chamados Direitos Sociais. Falou também sobre outros temas relacionados, como a emancipação feminina, proteção às crianças e pessoas com deficiência. Ao final das palestras, houve um momento de perguntas e intervenções do público ouvinte. 

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

UFRN DEBATE SOBRE O LEGADO DA REVOLUÇÃO RUSSA

O NEMED – Núcleo de Estudos Marxismo, Emancipação e Direito, vinculado ao GESTO-UFRN, promoverá no próximo dia 02 de outubro um debate sobre o legado da Revolução Russa para os direitos sociais e a emancipação.
O evento ocorrerá na próxima segunda-feira, no Auditório 1, do NEPSA-2, no campus da UFRN.
As inscrições podem ser feitas no link da PROEX:


Segundo o professor Zéu Palmeira, coordenador da Base de Pesquisa Direitos Sociais e Contemporaneidade, nos 100 anos da Revolução Russa, o mundo ainda procura compreender as causas e os desdobramentos desse fato histórico sem precedentes. Para o citado docente, a Revolução Russa é considerada o maior movimento de tentativa de emancipação do século XX em relação ao modo de produção capitalista. “O envolvimento das massas populares em busca de  uma alternativa de exercício do poder político pelos trabalhadores influenciou a luta social pelas construção de direitos sociais. Entender esse legado, seus acertos, seus equívocos e seus desdobramentos sobre os direitos sociais é um desafio para as atuais gerações” complementou Palmeira.
Os objetivos do evento são: conhecer sobre as causas e sobre o projeto de emancipação  da Revolução Russa; analisar o seu impacto sobre a questão social; discutir sobre o as tendências e possibilidade de os trabalhadores buscarem alternativas de lutas sociais pela emancipação.
A programação do evento é a seguinte:

19h00 - A Revolução Russa e o protagonismo dos trabalhadores no processo de emancipação.
Palestrante: Prof. Henrique Wellen

19h45 - A Revolução Russa e as suas influências na esfera da educação.
Palestrante: Profa. Héricka Medeiros.

20h30 - A Revolução Russa e a questão social:  o impacto sobre a construção dos direitos sociais.
Palestrante: Prof. Zéu Palmeira



quarta-feira, 23 de agosto de 2017

NETIN debate sobre trabalho infantil e exploração sexual

O NETIN (Núcleo De estudos sobre Trabalho Infantil), sob a coordenação da Professora Fabiana Mota, realizou uma sessão do CINE-NETIN, que objetiva discutir o trabalho infantil a partir da filmografia. 

Na última terça-feira, no auditório do NEPSA 2, o debate foi sobre Trabalho Infantil e Exploração Sexual, tendo como ponto de partida o filme “Anjos do Sol”. O convidado a debater sobre o tema foi o Prof. Zéu Palmeira, da UFRN.



O Prof. Zéu Palmeira afirmou que o Trabalho Infantil Sexual é uma das piores formas de labor infantil, conforme os termos da Convenção 182, da OIT. 

O aludido docente afirmou que não como se combater a exploração sexual sem a melhoria dos padrões de vida social e sem uma educação que seja capaz de dialogar com a sociedade e com a mídia. 

Palmeira sustentou que é preciso empoderar a sociedade e permitir um letramento em matérias de direitos sociais. “è preciso colocar a questão da exploração sexual na agenda pública, de modo a permitir que todos sejam melhor informados sobre o que é o fenômeno, quais os seus impactos e traumas na vida de crianças e adolescentes e, ainda, como se deve combate-la , bem como analisando as alternativas de denunciação do infrator

domingo, 2 de julho de 2017

Prof. Zéu fala sobre Reforma Trabalhista em audiência da Câmara de Vereadores de Maxaranguape

O professor Zéu Palmeira debateu nesta última sexta-feira sobre os efeitos da Reforma Trabalhista, em audiência pública, na Câmara de Vereadores de Maxaranguape-RN.

O citado magistrado disse  que a reforma não vai gerar empregos, porque a fórmula flexibilizatória adotada pelo Governo já foi testada em outros países, a exemplo da Espanha, e foi um fracasso. A Espanha flexibilizou e precarizou os direitos trabalhistas a ponto de gerar um desemprego de quase 27%.

Ao dizer que a supressão ou a redução de direitos não gera empregos, Palmeira sustentou que em nenhum lugar do mundo onde se implantou a flexibilização predatória de direitos houve a melhoria da qualidade de vida da população. Isso ocorreu porque é somente o emprego de qualidade que garante segurança de renda para as famílias, completou Zéu Palmeira.